Vem... esperas?

Vem

Espero... por ti? Não sei... por alguém...

Alguém que me acorde, que me abane, que me faça tremer e estremecer, que me faça sentir, sorrir, viver...

Espero... no meio de uma aparente neblina...

Aparente, porque consigo ver para lá da neblina, mas tenho medo... Assusta-me o que está à minha frente... Assusta-me ainda mais o inevitável...

Vem, toca-me devagarinho... arrepia-me a pele...

Vem... olha-me pela lente da máquina, vê o meu melhor ângulo...

Vem... mostra-me o melhor de mim...

Vem... mostra-te...

Vens?

Esperas?

VIUVA NEGRA

5 comentários:

US disse...

O mêdo às vezes instala-se sem razão.
O inevitável és tu. Encontro-te logo que me chames...e só assim também o mêdo pode desaparecer...
Desaparecido o mêdo, ficamos nós.
Espero que bem.
Beijinho

Alguém Comum disse...

Vou.
Espero.
MAs o Tempo passa sem esperar...
Vou eternizar-te do presente fugaz para um passado que poderá ser visto no futuro...
Click...
Já está.

Alguém Comum

aqui-há-gato disse...

Se eu espero... Pois claro que sim... sem desesperar:)


O Gato

Anonimo do Algarve disse...

Claro k vou e fico à tua espera c tanta sensualidade só um tolinho ou um cego é k n o fazia.

Bjs

Pedro M disse...

Deixa-me ver-te Sarah.
Despe-te.
Para mim.
Para a minha câmara.
Deixe-me descobrir o teu melhor ângulo.
Os teus olhos.
Brilhantes...
A tua boca.
Sedutora...
Os teus seios.
Perfeitos...
Tuas coxas.
Voluptuosas...
Teu sexo.
Húmido...
Teu corpo de mulher.
Perfumado.
Salgado.
Intenso.
Desejável.
Vê-me.
Assim.
Do outro lado da lente.
Tremendo.
Desejando-te.

Um beijo

Pedro M.