Experiencias

Encontramo-nos na estação. Estavas à minha espera. Parecias ansioso. Eu também estava. Afinal, nunca tinha feito algo assim. E não sabia como reagir ou sequer como agir. Sentia as minhas mãos suadas, as pernas a tremer e aquela sensação de borboletas no estômago… Olhei-te nos olhos e lancei-te o meu sorriso mais maroto. Reagiste bem, sorriste de volta e aproximaste-te. Surpreendeste-me com um leve beijo nos lábios. O meu coração disparou! Sussurraste-me, então, ao ouvido “preparada?” Acenei com a cabeça, ainda incapaz de dizer o que quer que seja. Encaminhamo-nos para o teu carro e, sorrindo, disseste-me “Agora, estás por minha conta. Prepara-te para te surpreenderes!” A tua presença, a tua convicção, o teu sorriso malandro, os teus olhos deslumbrantes, a situação em si… Sentia-me profundamente ansiosa, mas igualmente excitada! Rapidamente me apercebi que te sentias exactamente como eu. No percurso, falamos de tudo menos do que tínhamos planeado. Ajudou-nos a descontrair. Começaste a tocar-me a perna disfarçadamente e eu fui-me colocando de forma a que esses toques fossem mais fáceis. Fui-me aproximando e, com naturalidade, comecei a tocar-te também. Podia sentir os teus arrepios ao meu toque. Fingias estar concentrado na estrada, mas a tua excitação era cada vez mais visível. Apetecia-me toca-lo, mas ainda era cedo. E tu é que tinhas de comandar!


foto retirada da internet
Estacionaste o carro na garagem e, momentaneamente, ficamos como que paralisados. O nervosismo depressa deu lugar ao riso e, quase sem nos apercebermos, estávamos colados um ao outro, ainda dentro do carro!
Puxaste-me para ti, sentando-me no teu colo. Podia sentir o teu volume, que continuava a crescer! Comecei a esfregar-me em ti. Sentia-me completamente molhada. O espaço começou a ser pouco. Por isso, saímos do carro, num beijo continuo. Parecia que nos queríamos devorar mutuamente. Levantando-me a saia, arrancaste-me a string. Soltaste-o e penetraste-me ali mesmo, com força, como uma explosão de prazer! O teu beijo abafou os meus gemidos… Fodemos que nem loucos naquela garagem! Foram apenas alguns minutos até atingirmos o orgasmo, mas com tamanha intensidade que o mundo desapareceu!
Voltamos a rir, desta vez num riso solto, para todos ouvirem o nosso bem estar! entramos no elevador de mãos dadas e a sorrir que nem miúdos excitados, ansiosos por entrar em casa para continuar o que apenas havia começado…

3 comentários:

Zabaducadeu disse...

Gostei de te ler... a expectativa adiada é um afrodísiaco tremendo. Saber esperar, aumentar o desejo só serve para saborear melhor.
Belo Texto
Beijo

sarah disse...

Zaba, Obrigada!
beijo doce

Bichinho disse...

Huummm...beijo fantasma.